domingo, 6 de março de 2011

Destino

Sigo
Sozinha
Brumas escondem a paisagem
Não pertenço a este mundo
Meu mundo é outro
Sem máscaras
Onde posso ser apenas
Eu
Em minha essência
Onde não precise dar explicações
Ou implorar que me entendam

O lago
Ondula
Por sob o barco
Do meu destino
Aonde me levará
Não me interessa
Só peço
Que me leve
Que me leve
Que me leve....

Falo uma língua
Ininteligível
Sinto na pele
O que ninguém sente
Ou ousa sentir
Um ser de outro mundo
Habitando um planeta
A que não pertenço

Olho em frente
Sem um único olhar ao passado
Sou um parêntese
Nessa vida
Quero a minha
Quero a minha
E o que é meu...

Palavras?
De que adiantam as palavras?
Se meu ser
Explode a cada manhã
Sem que se dêem conta disso?
Sem que entendam
O que digo?
Meu barco segue
E já que eu não tenho forças
Nem coragem
Que as águas movimentem-se
Que a maré suba
Que o destino impulsione
E
Que o vento
Me leve....

12 comentários:

Claúdia Luz disse...

Boa tarde !!

Lindo !! Seria pefeito se fossemos feito águas cristalina , que outro pudesse nos ver e sentir como realmente somos . Será que hoje em dia as pessoas têm interesse nisso?

Um lindo dia !!!

lolipop disse...

Há sempre momentos em que as palavras se esgotam...um barco leva-nos, a corrente e o vento são bem vindos...queremos apenas ir.
Mas se houver nesse barquinho espaço para um remador...eu estou aqui.

Ternuras

Glorinha L de Lion disse...

Acho que não Cláudia, quantas vezes me sinto falando com as paredes, com o vento...com meus seres imaginários que habitam a minha cabeça...nenhum deles real...O mundo real não foi feito pra mim, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Loli querida, às vezes, sentimos que nossa vida ao lado de alguém foi construída em cima da areia...não conhecemos quem julgamos amar e nem eles a nós...e vamos remando, em desilusão...Beijos querida,

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

tão complicado... se até nos entendermos é tão difícil, o que dirá o outro nos entender?

é um grande desgaste tentar se fazer entender. e quase sempre o resultado é nulo...

Glorinha L de Lion disse...

Oi querido Alê. Verdade...é tão complicado entendermos o outro...Como, se não entendemos a nós mesmos? A vida é mesmo difícil....beijos,

Nilce disse...

Como nos fazer entender, Glorinha?
E assim deixamos o rio da vida nos levar.
Mas, será que fazemos o certo? será que não há outra solução?
Talvez um grito de alforria acorde a todos com os quais convivemos e assim a compreensão se faça, ou pelo menos se tente.

Bjs no coração!

Nilce

Glorinha L de Lion disse...

Sei lá Nilcita, não sei essa resposta...aliás, não sei quase nenhuma...a vida é coisa complicada e os relacionamentos entre os seres humanos, mais complicados ainda, beijos,

Lu Souza Brito disse...

Glorinha,

Adoro "sentir" as tuas poesias, como parte de mim e dos meus proprios questionamentos. Como perguntas soltas no ar, como formulas matemáticas a embaralhar-se frente aos meus olhos sem ter o cálculo efetuado.
Adoro
Um beijo

Glorinha L de Lion disse...

Luzinha, não sabe como fico feliz em saber que vcs que me lêem, me sentem...Me sinto realizada quando escrevo para quem sabe sentir...beijos flor,

Lu Souza Brito disse...

Glorinha,

Dia 14 de março é dia da poesia (fiquei sabendo porque do blog Xipan Zeca me convidou para participar de uma brincadeira de criar poesia e enviar para ele para ser postado neste dia).

Pensei: porque nao fazemos isso como uma blogagem, linkado aqui para o seu Café com Bolo e Poesia?
Será que está muito em cima? Todo mundo posta na segunda, o que você acha???
Poesia sem assunto determinado, ou tamanho, nao sei...
O que você acha??? Se topar posso ajudar a divulgar hoje.

E vc está melhor? Ah, qualquer coisa meu email é lusouzabrito@hotmail.com

beijoooos

Glorinha L de Lion disse...

Oi Lu, que legal, eu não sabia! vamos sim, mas é na segunda? Sei lá que dia é hj...estou meio perdida no tempo com essa coisa de carnaval...vamos fazer sim! Como eu faço? ah melhor nos falarmos pelo email...beijos,